Quem sou eu

Minha foto
Santiago, RS, Brazil
Sou Viviane Perufo Carloto. Tenho curso superior em Letras, Língua Inglesa e Respectivas Literaturas e Pós-Graduação em Informática na Educação. Desenvolvo trabalho na Supervisão Escolar e coordeno o Projeto Tribo LucasGeo e o grupo de teatro Os Teatreiros.

domingo, 27 de novembro de 2011

Dia da Consciência Negra e o herói chamado Zumbi

Zumbi líder do quilombo dos Palmares


Zumbi foi o grande líder do quilombo dos Palmares, respeitado herói da resistência antiescravagista. Pesquisas e estudos indicam que nasceu em 1655, sendo descendente de guerreiros angolanos. Em um dos povoados do quilombo, foi capturado quando garoto por soldados e entregue ao padre Antonio Melo, de Porto Calvo. Criado e educado por este padre, o futuro líder do Quilombo dos Palmares já tinha apreciável noção de Português e Latim aos 12 anos de idade, sendo batizado com o nome de Francisco. Padre Antônio Melo escreveu várias cartas a um amigo, exaltando a inteligência de Zumbi (Francisco). Em 1670, com quinze anos, Zumbi fugiu e voltou para o Quilombo. Tornou-se um dos líderes mais famosos de Palmares. "Zumbi" significa: a força do espírito presente. Baluarte da luta negra contra a escravidão, Zumbi foi o último chefe do Quilombo dos Palmares.

O nome Palmares foi dado pelos portugueses, em razão do grande número de palmeiras encontradas na região da Serra da Barriga, ao sul da capitania de Pernambuco, hoje, estado de Alagoas. Os que lá viviam chamavam o quilombo de Angola Janga (Angola Pequena). Palmares constituiu-se como abrigo não só de negros, mas também de brancos pobres, índios e mestiços extorquidos pelo colonizador. Os quilombos, que na língua banto significam "povoação", funcionavam como núcleos habitacionais e comerciais, além de local de resistência à escravidão, já que abrigavam escravos fugidos de fazendas. No Brasil, o mais famoso deles foi Palmares.

O Quilombo dos Palmares existiu por um período de quase cem anos, entre 1600 e 1695. No Quilombo de Palmares (o maior em extensão), viviam cerca de vinte mil habitantes. Nos engenhos e senzalas, Palmares era parecido com a Terra Prometida, e Zumbi, era tido como eterno e imortal, e era reconhecido como um protetor leal e corajoso. Zumbi era um extraordinário e talentoso dirigente militar. Explorava com inteligência as peculiaridades da região. No Quilombo de Palmares plantavam-se frutas, milho, mandioca, feijão, cana, legumes, batatas. Em meados do século XVII, calculavam-se cerca de onze povoados. A capital era Macaco, na Serra da Barriga.

A Domingos Jorge Velho, um bandeirante paulista, vulto de triste lembrança da história do Brasil, foi atribuído a tarefa de destruir Palmares. Para o domínio colonial, aniquilar Palmares era mais que um imperativo atribuído, era uma questão de honra. Em 1694, com uma legião de 9.000 homens, armados com canhões, Domingos Jorge Velho começou a empreitada que levaria à derrota de Macaco, principal povoado de Palmares. Segundo Paiva de Oliveira, Zumbi foi localizado no dia 20 de novembro de 1695, vítima da traição de Antônio Soares. “O corpo perfurado por balas e punhaladas foi levado a Porto Calvo. A sua cabeça foi decepada e remetida para Recife onde, foi coberta por sal fino e espetada em um poste até ser consumida pelo tempo”.

O Quilombo dos Palmares foi defendido no século XVII durante anos por Zumbi contra as expedições militares que pretendiam trazer os negros fugidos novamente para a escravidão. O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695.

A lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Nas escolas as aulas sobre os temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, propiciarão o resgate das contribuições dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.

Amélia Hamze

Profª da FEB/CETEC

ISEB/FISO-Barretos

http://www.brasilescola.com/sociologia/dia-consciencia-negra-heroi-chamado-zumbi.htm

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Halloween no Lucas


Sexta-feira, dia 11, a galera da Tribo LucasGeo, Os Teatreiros, alunos da 5ª e 6ª séries reuniram-se no auditório da escola para brincarem o Halloween (ocorreu com atraso por motivos de força maior).
O grupo do teatro, Os Teatreiros, apresentou a dança "Triller". A turma ensaiou com esmero a semana toda. A apresentação foi um sucesso!!!!
Os nossos artistas foram maquiados pela Cristiane, irmã da Clair (8ª série) e da Samara (6ª série) e pela aluna da 8ª série Eduarda Brito.
Agradeço a todos pelo sucesso da festa: descoradores, responsável pela criação dos convites, responsável pela venda de cartões, organização da festa e apoio da equipe diretiva. Sem a participação e trabalho dos alunos não seria possível a realização da mesma.

8ª série conversando sobre drogas

A turma 81 está desenvolvendo o Projeto “Drogas, tô fora!”, na disciplina de Língua Portuguesa, promoveu dia 10/11, no auditório da escola, um encontro da comunidade escolar com a psicóloga do CASP-AD, Bibiana Palmeiro.

Iniciou-se a palestra com um vídeo criado pelos alunos: André, Felipe, Rafael e Vinícius, da 8ª série, questionando a cultura do uso de drogas lícitas e ilícitas em nossa sociedade moderna.

Após a Psicóloga Bibiana apresentou o funcionamento do Projeto CAPS-ADS em Santiago. A comunidade interagiu com os alunos e a psicóloga, questionando e se posicionado sobre o assunto.

O encontro foi planejado e elaborado pela turma 81, sob coordenação da profª Viviane em parceria com as alunas Camila e Pâmela, do curso de Psicologia-URI Santiago.

O evento foi prestigiado pela equipe diretiva da escola, a professora Neusa, a professora e coordenadora do Curso de Psicologia da URI, Anahy Oliveira, pais e alunos de outras séries.

Agradecemos o empenho de todos e trabalhamos por uma sociedade mais consciente e justa.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Criando uma paródia - História do Mamute

As duplas receberam a letra da música "A história do Mamute", para criarem uma paródia e montá-la em quadrinhos, usando o programa HagáQuê.

Ao recriá-la, deverão mudar a postura dos amigos do Mamute, fazendo-os repensar em suas ações negativas e transformando-as em positivas.

Os trabalhos estão em andamento.

Dê uma passada nos blogs 8ª/2011 e confira a imaginação da galera.


História do Mamute

El Bando


Um mamute pequenino queria voar,
tentava e tentava e não podia voar..
uma pombinha, sua amiga, tentou ajudar,
e do quinto andar fez ele pular
hehehe
(e que aconteceu ?)
merda!! o mamute virou merda!!
merda!! o mamute virou merda!!

um mamute pequenino queria fumar
tentava e tentava e não podia fumar
um cachorro, seu amigo, tentou ajudar
e 500 cigarrinhos fez ele fumar.
(e que aconteceu ?)
cancer!! O mamute teve cancer!!
cancer!! O mamute teve cancer!!

um mamute pequenino queria beber
tentava e tentava e não podia beber
um urso, seu amigo tentou ajudar,
e 6 litros de whisky fez ele beber.
(e que aconteceu?)
cirrose!! No mamute deu cirrose!!
cirrose!! No mamute deu cirrose!!

um mamute pequenino queria transar
tentava e tentava e não podia transar
um jegue, seu amigo tentou ajudar
e com 100 prostitutas o fez transar
ohh ?e que se passa?
aids!! O mamute pegou aids!!
aids!! O mamute pegou aids!!

um mamute pequenino queria se drogar
tentava e tentava e não se podia drogar
um gato, seu amigo tentou ajudar
e 50 carreiras fez ele cheirar
e que aconteceu?
overdose!! o mamute com overdose!!
overdose!! o mamute com overdose!!

e agora o que aconteceu ?
morreu? ?morreu?
morreu!! o mamute morreu!!
morreu!! o mamute morreu!!
morreu!! o mamute morreu!!
morreu!! o mamute morreu!!
Morreu!! O mamute se fu....deu!!!


http://www.vagalume.com.br/el-bando/historia-do-mamute.html#ixzz1bkYRm1Wt

O QUE VOCÊ FARIA SE RECEBESSE ESTA CARTA?


Carta a um jovem...

Caro jovem, quero que você me ouça antes de me usar.

Quero que você me conheça, que saiba quem eu sou, o que faço, como me comporto dentro das pessoas, como você ira se sentir depois do meu contato, da minha ilusão.


Eu não tenho nome certo nem um sobrenome. Sou batizado a toda hora e a todo instante por aqueles que me usam. Não tenho amigos, pois todos aqueles que se aproximam de mim eu consigo destruir e quando não o faço completamente eu os deixo sem miolo, sem coração e sem pensamento.

Os que me tomam como companheiro são aqueles de coração amargurado, abandonados por todos, aqueles que se sentem só e que procuram em mim uma fuga para os seus problemas, principalmente os que me desconhecem, pois minha fuga e passageira e dolorosa.

Um dos meus contatos preferidos são as veias. Através delas eu consigo mergulhar no seu sangue que me levará a uma viagem por todo o seu corpo. Atravesso seus membros, canais e artérias. Passo por todo o seu sistema nervoso, deixando ai a minha marca, e enquanto eu passeio você vive as ilusões mais caras que alguém pode viver.

Através desse rio de sangue eu consigo atingir o cérebro, e ai a minha marca e mais forte, pois no cérebro, eu vou roubar o pensamento, a memória e a razão. Por fim descerei até o coração e você irá saber realmente quem eu sou, ou melhor, não vai dar tempo para isso, pois você já estará morto.


Pronto já lhe contei a minha história, se você quiser a minha ajuda me procure. Estou pronto para tirar a sua paz, sua liberdade e sua vida.

Atenciosamente,

A droga

Este texto foi distribuído à turma para iniciarmos o Projeto "Drogas, tô fora!".

Cada dupla recebeu-o para realizar as seguintes tarefas: ler, analisar, discutir e responder.

O que será que cada grupo escreveu? Entre nos links: Blogs 2011 e leia!!!